sexta-feira, 1 de agosto de 2008

PORTO ALEGRE


Porto Alegre: meu Deus... que trauma.... 1966, eu com minha minha carteira de motorista na mão. Meu patrão, Oswaldo Pool: Sardá, vai a Porto Alegre e me traz um Aero-Willys 65, lá fui de ¨bus¨... Direto pra rua da Praia, agência do ¨seu¨ Flôres , pai do Aldo Costa (corredor de Carreteira e Sinca). Aviso do patrão (Pool). Sardá não vacila: quando abrir o sinal pisa fundo senão eles te entram na traseira! Abre o olho!... Lá fui eu apavorado com o carro na sinaleira, abriu o sinal e eu ¨cantando¨ pneus saí a mil, os Portoalegrenses ficaram olhando, ¨quem é esse lôco?¨ (era eu)
Pois é: até hoje tenho trauma de Porto Alegre (cidade linda) após 42 anos lá vou eu de novo pra POA com o coração na mão ! ¨DEUS me ajude¨.

2 comentários:

Thais Sardá disse...

A gente se saiu bem, né? Diz se eu não sou a tua navegadora favorita? Hehehe

Sardá disse...

É verdade filha, se não foste tu e a Michelle, estaria perdido (literalmente) beijão do pai.